Moço de Recados


 

O tempo é indiscutivelmente um dos nossos bens mais preciosos, mas infelizmente e cada vez mais, parece que andamos sempre a dar-lhe pela falta. Foi para ajudar a colmatar essa lacuna que Luís Campos criou o Moço de Recados, um exemplo de empreendedorismo que alia uma oportunidade de emprego com a simplificação da vida alheia.

 

A ideia já estava na sua cabeça desde 2007, mas só se materializou no final de 2012 – a base é muito simples, já que a tarefa de Luís é, efetivamente, fazer recados. Desde passear animais, a recolher exames médicos, a levar automóveis a inspeções, a tratar de papelada.

 

O sucesso tem sido grande, e o retorno global, gratificante.

 

 

O que é/qual é o negócio?
O “Moço de Recados” é um serviço que tem como objetivo ajudar as pessoas no seu dia-a-dia. Muitas vezes chegamos tarde ao trabalho, precisamos de sair mais cedo ou mesmo recorrer à hora de almoço para resolver determinados assuntos. O Moço de Recados surge então como um facilitador de vida, um gestor de tempo pessoal.

 

De onde nasceu?
A ideia estava em papel desde 2007, mas apenas ganhou vida em novembro de 2012. Durante muitos anos trabalhei como freelancer e como, por vezes, tinha algum tempo livre, familiares e amigos pediam-me “favores”. Constatei que possuía uma coisa que as outras pessoas precisavam: tempo. Comecei a ver que todos esses recados que “desenrascava” às pessoas, poderiam ser uma oportunidade de negócio.

 

Missão?
Fazer recados às pessoas que não têm disponibilidade para os fazer ou, simplesmente com os quais não querem perder tempo. Ser um assistente pessoal em que as pessoas podem confiar a execução de várias tarefas, garantindo-lhes, desta forma, uma melhor qualidade de vida, com mais tempo de lazer.

 

Financiamento?
Na altura em que avancei com o projeto “Moço de Recados” encontrava-me desempregado. Como tal recorri ao Centro de Emprego para conseguir parte do financiamento, através do programa de Apoio à Criação do Próprio Emprego. Além deste apoio ainda foi preciso recorrer a capitais próprios. Foi preciso investir na criação da imagem corporativa, em estacionário, vestuário, site, vídeo promocional e restauro da Vespa.

 

Promoção?
Pretendi criar um conceito à volta da ideia do negócio. Por isso tanto o nome, o veículo a utilizar, site, cartões, foi tudo pensado ao pormenor. Queria chegar aos media e ao cliente e para isso apostei na criatividade e originalidade. Com a ideia de remeter ao passado surge o nome “Moço de Recados”, e para reforçar este conceito defini que o principal veículo para realizar os recados seria uma Vespa de 1976.
Criei o logotipo, estacionário, site, redes sociais e restaurei a Vespa. Realizei um vídeo e enviei uma newsletter a amigos, conhecidos e aos media. Consegui algumas entrevistas e reportagens, o que veio a ser um ótimo veículo de promoção deste serviço.

 

Onde esperam chegar?
Para ficar no meu país tive que criar este negócio e assim, criei o meu posto de trabalho. Gostava que no futuro outras cidades de Portugal pudessem usufruir deste serviço. Se isso acontecesse era muito gratificante, não só por ter criado algo rentável, mas também por poder criar novos postos de trabalho.

 

Como lidaram com a incerteza inicial?
O país atravessa um período de grande dificuldade económico-social, o que limita as oportunidades de trabalho. Se queremos ficar cá não podemos baixar os braços. Não há oportunidades, por isso temos de as criar. Medos, receios, incertezas há muitas, mas se não arriscarmos o que vamos fazer? Ficamos em casa sentados à espera que algo aconteça!? Temos de arregaçar as mangas, continuar a lutar e a sonhar.

 

 

Vosso maior trunfo? Ingrediente secreto?
Criatividade e profissionalismo. Um dos objetivos é apostar em comunicação. Pretendo realizar vídeos virais, fazer produções fotográficas, criar flyers, ações de guerrilha pois quero alcançar as pessoas através da criatividade. Por outro lado, quero que o cliente que experimente o serviço volte a repetir, por isso para fidelizá-lo ofereço um serviço profissional, apostando na criação de uma relação de total confiança e confidencialidade entre ambos.

 

O que sugerem a quem começa?
Acho que, regra geral, as pessoas andam desanimadas, frustradas e, pior que tudo, desacreditadas das suas capacidades. Eu era uma dessas pessoas. Mas temos de nos levantar e acreditar em nós. Temos muitas capacidades e estamos mal aproveitados.
Acreditem em vocês e não deixem que ninguém vos diga que não são capazes. Vão surgir muitas barreiras, mas não desistam pois elas são todas intransponíveis.

 

Qual o melhor conselho profissional que já recebeu?
Sê responsável, tolerante, atento, rigoroso e honesto.

 


Mais informações em mocoderecados.com.
 

 

Guias Práticos

Ideias e guias sobre tudo o que precisa de saber para criar um negócio

Saber mais

Guias Teóricos

Noções teóricas imprescindíveis para o arranque e gestão do seu negócio​

Saber mais

Agenda

Eventos na área do empreendedorismo

Saber mais

Notícias

Últimas novidades sobre o universo do Empreendedorismo

Saber mais