Empreendedorismo

Presença em Feira de Negócios


Uma das grandes (e por vezes esquecidas) oportunidades de marketing para uma empresa é a presença numa feira de negócios, permitindo, entre outras coisas, angariar potenciais clientes, estabelecer comparações com a concorrência, promover novos produtos e reforçar a presença no mercado.

Contudo, a presença numa feira não deve ser encarada de ânimo leve, sendo que esta deve ser enquadrada num marketing-mix sólido, devendo ser planeadas cuidadosamente e em vários passos.


Tipos de feiras
Essencialmente, existem dois tipos de feiras:
- abertas ao público;
- dirigidas a profissionais (não há vendas, sendo mais destinadas a possíveis contactos e encomendas).


Preparação
A cuidada participação numa feira deve começar a ser tratada entre seis a quatro meses antes do evento, devendo o empreendedor recordar-se que é a imagem da empresa que está em jogo. Deve escolher uma feira em detrimento de outra pelas razões corretas, levando em consideração a estratégia da empresa e o mercado e não apenas se a concorrência está ou não presente em determinado certame.

Uma vez escolhida a feira, deverá solicitar toda a informação necessária à sua participação:
- data e horários (tanto da feira, como de montagem/desmontagem dos stands);
- âmbito;
- perfil do expositor e visitantes;
- número de edições e visitantes passados;
- área ocupada;
- meios de divulgação;
- seguro;
- informações sobre reservas.

Também essencial é a elaboração de um plano exclusivamente dedicado à participação no certame, que deve incluir:
- objetivos;
- orçamento;
- mercado-alvo;
- produtos a expor;
- recursos humanos;
- atribuição de tarefas e elaboração de escala de serviço;
- plano de marketing e publicidade.

Para que o plano seja executado dentro dos parâmetros pensados, é imperial a nomeação de um responsável para supervisionar continuamento o processo.

 
Orçamento
O volume do investimento disponível para a participação numa feira de negócios está diretamente relacionado com as disponibilidades financeiras reais da empresa/empreendedor e dos objetivos que se pretendem atingir com a referida presença.

Geralmente, devem ser consideradas as seguintes grandes categorias a levar em conta na orçamentação:
- aluguer do espaço;
- stand;
- transportes (mercadorias e deslocações do pessoal);
- publicidade;
- serviços (se necessário, para montar stand, limpezas, fotógrafo, seguro, comunicações, etc)
- pessoal;
- estadias (se necessário).


Stand
O stand é a materialização física da presença da empresa numa feira, pelo que todo o cuidado na sua estruturação e montagem é necessário. O empreendedor deverá averiguar cuidadosamente se o stand será primeiramente alugado como meramente metros quadrados alugados ou uma estrutura física que pode ser construída. Neste segundo caso, há ainda que investigar se a construção do mesmo se fará com materiais fornecidos pela organização (solução mais barata), ou se será a empresa a preencher todo o espaço de raíz (solução mais cara mas passível de criar um espaço mais personalizado).

Deverá ter em atenção que um stand deve sempre:
- atrair a atenção;
- facilitar o convívio e observação dos produtos;
- ter em conta o público-alvo e os produtos a colocar em destaque.


Marketing e Publicidade
Para atingir eficazmente o seu público-alvo, deverá considerar a utilização das seguintes ferramentas de marketing para publicitar a sua presença:
- convites: a melhor forma de garantir as presenças mais importantes – previamente, deverá ser constituída uma base de dados para o efeito;
- malining: opção recomendada para atingir potenciais clientes;
- imprensa: sempre determinada pelo orçamento disponível e, sempre que possível, em imprensa especializada;
- redes sociais: opção recomendada em todos os casos – gratuita, fácil de replicar e eficaz.


Durante a Feira
- Recomendações
Oferecer brindes, fazer demonstrações de produtos e manter o stand animado, distribuir documentação apelativa, manter o espaço limpo, escolher os produtos exibidos de acordo com o âmbito da feira e o próprio feedback dos visitantes, conhecer a concorrência, oferecer cartões de contacto, manter reuniões diárias com o staff.

- Erros a evitar
Comer, beber, ler, conversar (ao telefone ou num grupo de amigos), ignorar os visitantes, distribuir folhetos indiscriminadamente, ser demasiado agressivo.

 

Uma das grandes (e por vezes esquecidas) oportunidades de marketing para uma empresa é a presença numa feira de negócios, permitindo, entre outras coisas, angariar potenciais clientes, estabelecer comparações com a concorrência, promover novos produtos e reforçar a presença no mercado.
 
Contudo, a presença numa feira não deve ser encarada de ânimo leve, sendo que esta deve ser enquadrada num marketing-mix sólido, devendo ser planeadas cuidadosamente e em vários passos.
 
 
Tipos de feiras
Essencialmente, existem dois tipos de feiras:
- abertas ao público;
- dirigidas a profissionais (não há vendas, sendo mais destinadas a possíveis contactos e encomendas).
 
 
Preparação
A cuidada participação numa feira deve começar a ser tratada entre seis a quatro meses antes do evento, devendo o empreendedor recordar-se que é a imagem da empresa que está em jogo. Deve escolher uma feira em detrimento de outra pelas razões corretas, levando em consideração a estratégia da empresa e o mercado e não apenas se a concorrência está ou não presente em determinado certame.
 
Uma vez escolhida a feira, deverá solicitar toda a informação necessária à sua participação:
- data e horários (tanto da feira, como de montagem/desmontagem dos stands);
- âmbito;
- perfil do expositor e visitantes;
- número de edições e visitantes passados;
- área ocupada;
- meios de divulgação;
- seguro;
- informações sobre reservas.
 
Também essencial é a elaboração de um plano exclusivamente dedicado à participação no certame, que deve incluir:
- objetivos;
- orçamento;
- mercado-alvo;
- produtos a expor;
- recursos humanos;
- atribuição de tarefas e elaboração de escala de serviço;
- plano de marketing e publicidade.
 
Para que o plano seja executado dentro dos parâmetros pensados, é imperial a nomeação de um responsável para supervisionar continuamento o processo.
 
 
Orçamento
O volume do investimento disponível para a participação numa feira de negócios está diretamente relacionado com as disponibilidades financeiras reais da empresa/empreendedor e dos objetivos que se pretendem atingir com a referida presença.
 
Geralmente, devem ser consideradas as seguintes grandes categorias a levar em conta na orçamentação:
- aluguer do espaço;
- stand;
- transportes (mercadorias e deslocações do pessoal);
- publicidade;
- serviços (se necessário, para montar stand, limpezas, fotógrafo, seguro, comunicações, etc)
- pessoal;
- estadias (se necessário).
 
 
Stand
O stand é a materialização física da presença da empresa numa feira, pelo que todo o cuidado na sua estruturação e montagem é necessário. O empreendedor deverá averiguar cuidadosamente se o stand será primeiramente alugado como meramente metros quadrados alugados ou uma estrutura física que pode ser construída. Neste segundo caso, há ainda que investigar se a construção do mesmo se fará com materiais fornecidos pela organização (solução mais barata), ou se será a empresa a preencher todo o espaço de raíz (solução mais cara mas passível de criar um espaço mais personalizado).
 
Deverá ter em atenção que um stand deve sempre:
- atrair a atenção;
- facilitar o convívio e observação dos produtos;
- ter em conta o público-alvo e os produtos a colocar em destaque.
 
 
Marketing e Publicidade
Para atingir eficazmente o seu público-alvo, deverá considerar a utilização das seguintes ferramentas de marketing para publicitar a sua presença:
- convites: a melhor forma de garantir as presenças mais importantes – previamente, deverá ser constituída uma base de dados para o efeito;
- malining: opção recomendada para atingir potenciais clientes;
- imprensa: sempre determinada pelo orçamento disponível e, sempre que possível, em imprensa especializada;
- redes sociais: opção recomendada em todos os casos – gratuita, fácil de replicar e eficaz.
 
 
Durante a Feira
- Recomendações
Oferecer brindes, fazer demonstrações de produtos e manter o stand animado, distribuir documentação apelativa, manter o espaço limpo, escolher os produtos exibidos de acordo com o âmbito da feira e o próprio feedback dos visitantes, conhecer a concorrência, oferecer cartões de contacto, manter reuniões diárias com o staff.
 
- Erros a evitar
Comer, beber, ler, conversar (ao telefone ou num grupo de amigos), ignorar os visitantes, distribuir folhetos indiscriminadamente, ser demasiado agressivo.
- See more at: http://backoffice.zonempresas/criar-uma-empresa/guias-praticos/Pages/presenca-feira-de-negocios.aspx#sthash.D0CX9Hbr.dpuf
Enquanto a recessão e a crise podem criar condições favoráveis ao crescimento e desenvolvimento de alguns setores de franchising, outros foram afetados de forma violenta, oferecendo hoje grandes riscos a empreendedores que neles pretendam apostar.
 
Neste artigo relembramos algumas das piores apostas em franchising em Portugal.
 
Aluguer de Vídeo, Livrarias e Gráficas
Os avanços tecnológicos têm inviabilizado ambos os setores – os filmes, vídeo e livros são cada vez mais portáteis e transmissíveis, enquanto que a opção de imprimir documentos a partir de casa (sempre que possível) se torna cada vez mais viável e comum.
 
Indústria Automóvel/Postos de Gasolina
Desde ao aluguer à reparação, os franchises relacionados com a indústria automóvel têm vindo a perder cada vez mais clientes devido aos preços crescentes dos combustíveis e manutenção do veículo em comparação aos transportes públicos ou outras alternativas.
 
Finanças/Banca
Apesar de a expressão “o pior já passou” ser cada vez mais comum, a aposta nos bancos e outros serviços de gestão de ativos continuam a ser um tiro no pé – a sua recuperação ainda está longe de estar completa, além de que o índice de confiança dos clientes também é cada vez menos o ideal.
 
Imobiliário
Parece uma “não-aposta” óbvia – desde a desconfiança crescente dos bancos que leva a um apoio cada vez menor e menos sustentado às condições pouco amigáveis envolvidas na compra e venda de imóveis, este é um setor de altíssimo risco.
 
Recreio e Lazer
Apesar de ser verdade que uma população feliz tem melhores perspetivas de sucesso pessoal e profissional, as indústrias relacionadas com recreio e lazer (desde Cinemas a centros de jogos, por exemplo) encontram-se em permanente declínio face à retenção de custos que é imposta pela crise aos seus possíveis clientes.

 

 

ARTIGOS RELACIONADOS

Como vender em feiras e eventos

Como montar uma banca numa feira

 

Guias Teóricos

Ideias e guias sobre tudo o que precisa de saber para criar um negócio

Saber mais

Casos de sucesso

Empreendedores de sucesso explicam como nasceram os seus negócios

Saber mais

Notícias

Últimas novidades sobre o universo do Empreendedorismo

Saber mais

Agenda

Eventos na área do Empreendedorismo

Saber mais