Como é que a música influencia a compra nas lojas


Se existe algo que quase todas as lojas têm em comum é o facto de terem música ambiente e, apesar de parecer inocente, ela está lá por uma razão muito específica. Segundo vários estudos realizados ao longo dos últimos anos, tudo o que vai do tempo ao volume pode influenciar o consumidor.

 

Para além disso, diferentes lojas, com diferentes produtos, devem optar por músicas que melhor se encaixem no tipo de ambiente que se pretende criar.

 

1. Molda o passo do cliente

Poucos o sabem mas a realidade é que a música pode inconscientemente influenciar o nosso cérebro. Uma música mais rápida obriga-nos a pensar e a mover mais apressadamente enquanto um tempo mais lento leva ao efeito contrário. Isto não significa, contudo, que o cliente irá comprar mais ou menos, influenciando-o sim a fazer as suas compras a ritmos diferentes. Por exemplo, se está quase na hora de encerrar, uma música de passo rápido e com volume alto pode ajudar aqueles últimos clientes a despacharem-se. Pelo contrário, se estiver numa hora mais calma, pode optar por uma música mais lenta para que o cliente permaneça mais tempo e eventualmente compre mais.

 

2. Cativa o cliente

Já reparou que quando entra numa loja de roupa a música de fundo lembra as músicas que se ouvem nas passarelas, que nas lojas de produtos zen, a música tende a ser calma, e que num ginásio esta é energética e vibrante? Tudo isto tem como função colocar o consumidor no estado de espírito convidativo: a melodia certa pode levá-lo a querer visitar a loja sem sequer ter de olhar para a montra, e a melodia errada pode levar o cliente a sentir-se desconfortável e a ter uma impressão negativa da loja. Por exemplo, a música clássica pode ser uma benção ou um pesadelo pelo facto de dar à loja um ambiente de requinte e, por conseguinte, de produtos caros. Existem clientes que ao ouvir esta melodia podem julgar que a loja está fora do seu alcance financeiro enquanto outros se sentirão convidados a entrar por saberem que se trata de um local onde encontrarão produtos de alta-qualidade e prestígio. A música pode também influenciar o cliente a comprar determinado produto. Um estudo publicado na Nature em 1997 e realizado numa loja de vinhos mostrou que dependendo da música o cliente adquiria produtos diferentes: música francesa levava-o a comprar vinho francês, música alemã levava-o a comprar vinho alemão, e por aí adiante.

 

3. Aumenta a compra por impulso

Um dos elementos que mais vendas produz é o desejo de impulse buy, onde o cliente decide adquirir um produtor não necessariamente porque precisa dele mas porque sente que se sentirá mais feliz ao fazê-lo. Isto acontece porque um produto é trendy mas também se a loja possuir a música certa que deixa o cliente num estado de espírito mais feliz e solto - mais predisposto a comprar algo porque gosta da sua estética, por exemplo.

 

4. Oferece privacidade

Muitas vezes o cliente opta por comentar sobre o produto com outro cliente, um amigo ou familiar, e a última coisa que deseja é que a conversa seja ouvida pelos que estão ao lado e, especialmente, por quem trabalha na loja. A música de fundo permite que ele discuta a sua compra com alguma privacidade.

 

5. Combate o tédio na fila de espera

Um dos elementos mais desagradáveis que podem levar um cliente a não sair com uma boa impressão da loja é o tempo que demora entre chegar à linha de caixa e conseguir pagar os seus produtos. Infelizmente as filas são normalmente difíceis de combater mas nada que uma música animada não resolva. Se estiver entretido, o cliente terá menos tendência a sentir-se entediado e sairá da loja com boa disposição.

 

6. Incentiva os funcionários

É verdade, a música é tão importante para o cliente quanto para um funcionário! É igualmente importante escolher a melodia certa para incentivar quem trabalha na sua loja, aumentando a produtividade e a concentração. Um estudo feito pela DJS em 2013 mostrou que 77% das empresas concorda que a música influenciou positivamente o trabalho dos seus funcionários e que era preferível a um ambiente sem qualquer tipo de música.

 

No final, a escolha da música de fundo deve sempre depender do tipo de cliente que pretende convidar, do tipo de produto que está a oferecer e até mesmo da hora em específico em que a música está a ser tocada.

 

Casos de sucesso

Empreendedores de sucesso explicam como nasceram os seus negócios

Saber mais

Tendências

Atualidade e inovação: o que está a mudar no empreendedorismo

Saber mais

Guias Fiscais

Datas de entregas de documentos e obrigações de pagamento de impostos

Saber mais

Notícias

Últimas novidades sobre o universo do Empreendedorismo

Saber mais