Empreendedorismo

Como abrir um Hostel



Um hostel oferece um modelo de hospedagem diferente do hotel, prezando não só a coletividade entre os seus hóspedes, mas permitindo ainda um alojamento seguro e de baixo custo. No contexto atual da crise é, simultaneamente, a escolha na ponta da língua da comunidade turística (sobretudo jovem) mas também uma oportunidade de empreendimento única que, com boa gestão, promete ganhos e louros consideráveis.

Este guia compila uma série de informações e elementos de importância crucial na consideração e planeamento dos interessados em abrir um hostel.


Plano de Negócios
O plano de negócios é o mapa para o sucesso da sua empresa, tomando especial proeminência no planeamento de um empreendimento considerável como um albergue. Não há necessidade de ser longo ou pomposo, mas sim assertivo, objetivo e relativamente flexível – passível de ser alterado sempre que necessário, em função de alterações ou acrescentos.


Escolha de Localização
A primeira consideração a levar em conta concerne ao público-alvo: sendo este um albergue para turistas, deve posicionar o seu estabelecimento onde eles estão – normalmente, perto de pontos de interesse, estações de transporte ou centro da cidade. Dê primazia a zonas seguras da cidade, com bom acesso a restauração e eventos.


Estrutura do albergue
Uma das características distintivas dos hostels em relação aos hotéis tradicionais prende-se com a estrutura, que parece mais de uma casa. Os quartos são coletivos (com números variáveis de ocupantes) mas mantém um pequeno espaço de arrumação privado, podendo ter casa-de-banho privativa ou partilhada com os outros quartos.
No que respeita a outros espaços, deve dar-se primazia a espaços coletivos, como salas de leitura, salas de jogos, sala de estar e uma cozinha ampla – pode optar por manter um serviço de cozinha, ou deixar simplesmente o espaço ao uso dos hóspedes. O serviço de pequeno almoço deve, todavia, ser incluído, seja qual for o modelo de cozinha em funcionamento.
Outros espaços que deverá levar em consideração são os cofres, quartos para guardar bagagem, lavandaria, receção e mural com instruções sobre o estabelecimento.


Licenciamento / Legislação
A instalação e funcionamento de empreendimentos turísticos rege-se, em sentido estrito, pelo Decreto-Lei nº 39/2008 de 7 de março​. Todavia, devem ser destacados, entre a legislação complementar:

- Decreto-Lei nº 220/2008 de 12 de novembro (estabelece regime jurídico da segurança contra incêndios)
- Portaria nº 358/2008 de 6 de abril (estabelece requisitos dos equipamentos de uso comum dos empreendimentos turísticos)
- Portaria nº 896/2008 de 18 de agosto (aprova o modelo, edição, preço, fornecimento e distribuição do livro de reclamações)
- Portaria nº 518/2008 de 25 de junho (estabelece elementos instrutores dos pedidos de realização de operações urbanísticas relativos a empreendimentos turísticos)
- Portaria nº 327/2008 de 28 de abril (aprova os requisitos dos Estabelecimentos Hoteleiros)
- Portaria nº 232/2008 de 11 de março (determina quais os elementos que devem instruir os pedidos de informação prévia, de licenciamento e de autorização referentes a todos os tipos de operações urbanística)
- Decreto-Lei nº 163/2006 de 8 de agosto (aprova o regime de acessibilidade aos edifícios e estabelecimentos que recebem público, via pública e edifícios habitacionais)


Etapas do processo de instalação
1. Pedido de informação prévia (facultativo)
2. Licenciamento ou comunicação prévia de operações urbanísticas/projeto de arquitetura
3. Licença ou admissão de comunicação prévia de operações urbanísticas/obra
4. Autorização de utilização para fins turísticos
5. Comunicação de abertura (em caso de ausência de autorização de utilização para fins turísticos)
6. Classificação
7. Inclusão no RNET


Despesas de Investimento
Imóvel/Obras
Instalações
Equipamentos
Contratação de serviços
Contratação de empregados
Documentação (licenciamento, seguros)
Legalização da empresa


Custos Fixos
Salários
Renda
Pagamento de empréstimo (se for o caso)
Consumíveis (água, luz, internet, telefone)
Contabilidade
Marketing
Custos de manutenção


Financiamento
Apoios e Incentivos públicos ou comunitários – QREN, IEFP, IAPMEI
Empréstimos bancários
Leasing
Sociedades de Garantia Mútua


Recursos humanos
Rececionista
Camareiros
Gerente
Equipa de Limpeza
Seguranças
Cozinheira
Empregados (restaurante)

Nota: porque um albergue funciona 24horas/dia, lembre-se que há a necessidade de criar diferentes turnos de trabalho e, por isso, contratar mais trabalhadores e serviços.


Registo do Hostel em websites especializados
Para ajudar a tornar o seu Hostel conhecido, recomenda-se a inscrição do albergue em algumas bases de dados específicas.

Trip Advisor
Hostels.com
Booking.com
Hostel World
Hostel Bookers
Hostelling International

Casos de sucesso

Empreendedores de sucesso explicam como nasceram os seus negócios

Saber mais

Guias Teóricos

Ideias e guias sobre tudo o que precisa de saber para criar um negócio

Saber mais

Notícias

Últimas novidades sobre o universo do Empreendedorismo

Saber mais

Inspirações

Livros, filmes, séries e jogos para inspirar o seu negócio

Saber mais