Ser mulher no mundo dos negócios, alguns números interessantes


A discrepância entre homens e mulheres no mundo dos negócios continuam a ser gritante, contudo, com o passar dos anos cada vez mais mulheres ocupam lugares de responsabilidade, conseguindo impor-se num universo que de forma geral ainda as reprime pelas escolhas profissionais. Eventos como o WomenWinWin são um bom exemplo de comunidades de apoio e formação de jovens empreendedoras, ambiciosas e com o desejo de chegar ao topo, e os resultados começam a ser vistos a pouco e pouco. São exatamente alguns números interessantes, relativos ao papel da mulher no meio empreendedor que lhe trazemos, de modo a ficar a conhecer mais do que se passa pelo mundo.


Os países em desenvolvimento são mais tolerantes

Pode parecer mentira mas a verdade é que a maioria dos países em desenvolvimento, nomeadamente na América do Sul e na Ásia, estão a ver um aumento considerável da presença feminina. Atualmente, e de uma forma geral, as empresas de inovação contam com 60% de mulheres na sua equipa.


Concretização pessoal acima de necessidades financeiras

A maioria das mulheres empreendedoras tende a apontar o desejo de concretização pessoal e profissional como o principal motivo por se aventurarem numa empresa - seja em cargos elevados ou não. Em contrapartida, os homens têm uma tendência a apontar necessidades financeiras ou o desejo de enriquecer como o principal motivo da sua escolha de carreira.


Os homens continuam a ser os grandes criadores de empresas

Ainda que o número de mulheres CEO esteja a aumentar, estas tendem a ocupar cargos em empresas criadas por homens. Com excepção às empresas de inovação - onde a maioria é sim formada por mulheres - de um modo geral somente 4 em 10 empresas nascem do trabalho de uma mulher.


As mulheres dos países desenvolvidos focam-se na sociedade

Saúde, serviços sociais, e educação são as grandes áreas de interesse para as mulheres dos países desenvolvidos. Ainda que o maior nível biológico de empatia seja possivelmente uma das causas, outro dos grandes motivos para esta direção é o facto de que como donas de casa - o papel tradicional feminino até há algumas décadas - as mulheres têm acesso a problemas enraizados na sociedade e que passam ao lado da maioria dos empresários. Agora com o poder nas suas mãos, muitas mulheres optam por embarcar numa missão de tornar a sua comunidade num local mais desenvolvido e saudável económica e socialmente.


Poucas mulheres levam as suas empresas ao topo devido à insegurança

O medo de não serem capazes de competir com os homens ou os anos de pressão masculina para desistirem, levam muitas mulheres a temerem levarem a sua empresa ao topo, preferindo estagnar num nível confortável e rentável. Esta é uma das razões porque as mulheres devem sim estar presentes em feiras e eventos de empreendedorismo, como o Web Summit, onde poderão conseguir de outras mulheres, a experiência e motivação para concretizarem os sonhos na sua totalidade.


Conhecer o estado dos seus concorrentes e as novidades da indústria em que se insere é fundamental mas é igualmente importante perceber qual o estado da posição feminina do mundo dos negócios. Saber quais as falhas que permanecem e as vitórias conquistadas são uma excelente forma de se ajudar, e auxiliar outros, no crescimento pessoal e profissional.


ARTIGOS RELACIONADOS:

Truques para melhorar a sua liderança enquanto mulher

Como fazer um bom coach quando nada resulta


Casos de sucesso

Empreendedores de sucesso explicam como nasceram os seus negócios

Saber mais

Guias Práticos

Ideias e guias sobre tudo o que precisa de saber para criar um negócio

Saber mais

Guias Fiscais

Datas de entregas de documentos e obrigações de pagamento de impostos

Saber mais

Notícias e Eventos

Últimas novidades sobre o universo do Empreendedorismo

Saber mais