É com enorme prazer que apresento um novo ano de resultados sólidos, que refletem a execução consistente da estratégia definida aquando da nossa fusão.

Competindo num mercado muito dinâmico, tecnologicamente sofisticado e com um elevado nível de investimento, excedemos os nossos objetivos originais em praticamente todas as métricas operacionais e financeiras, bem antes do previsto. Em particular, a nossa quota de mercado de receitas totais já excede os 31%, um aumento de mais de 5pp face ao ponto de partida. É importante recordar que enquanto levávamos a nossa jovem empresa a níveis sem precedentes de crescimento, enfrentámos simultaneamente os desafios de unir duas organizações muito diferentes, com heranças distintas em termos de sistemas, processos e culturas. Dado o abrandamento na atividade comercial no último ano, tal como esperado devido aos elevados níveis de penetração de serviços já atingidos, pudemos concentrar-nos em transformarmo-nos numa operação verdadeiramente integrada, com níveis superiores de serviço ao cliente e eficiência.

O investimento contínuo em elementos potenciadores do negócio é crítico para a nossa estratégia, no sentido de assegurar a nossa competitividade no longo prazo. Iniciámos alguns projetos muito importantes no último ano, quer na nossa rede móvel, quer fixa. No móvel, lançámos uma revisão completa da arquitetura da nossa rede rádio, tendo em vista o aumento da sua capacidade e eficiência. No fixo, estamos a atualizar a nossa rede HFC para o Docsis 3.1, proporcionando velocidades de 1Gbps em toda a nossa rede até final do 1T18, bem como a expandir a nossa cobertura de FttH até 70% da nossa rede até 2022, no sentido de suportar as crescentes exigências dos consumidores em termos de largura de banda e antecipar a necessidade de aliviar a capacidade da rede móvel no futuro.

Demos também os primeiros passos na implementação de um programa de transformação transversal a toda a empresa, estabelecendo como as nossas principais prioridades a excelência na experiência do cliente e um aumento da eficiência do negócio. Identificámos a digitalização e a automação como potenciadores chave, tendo selecionado uma equipa dedicada dentro da organização para coordenar os numerosos fluxos de trabalho que endereçam áreas abrangentes do negócio, tais como serviço ao cliente, canais de distribuição e suporte técnico, para dar apenas alguns exemplos. Trata-se de um projeto de longo prazo, que acreditamos que irá começar a ter impactos relevantes nos níveis de serviço ao cliente e eficiência de custos, ao implementar alterações estruturais na forma como trabalhamos e, em última análise, interagimos com os nossos clientes.

Durante o ano de 2017, reforçámos ainda mais a nossa posição enquanto operador líder de entretenimento e comunicações em Portugal, alavancando a nossa combinação única de ativos de telecomunicações, audiovisuais e exibição cinematográfica, capturando oportunidades de crescimento e valor adicionais sempre que possível. Continuámos a crescer o número de RGUs nos principais serviços, aumentando a nossa quota de mercado em todos os segmentos. As nossas Receitas aumentaram mais de 3%, suportadas pelo nosso desempenho comercial. Uma eficiência de custos contínua e uma alavancagem operacional incrementada permitiram-nos crescer o EBITDA em mais de 4%, bem acima do crescimento das Receitas, compensando o peso da continuação dos custos acrescidos com conteúdos desportivos premium. Este ano, obtivemos também um acréscimo muito material no FCF para 133 milhões de euros, que compara com apenas 54 milhões de euros no ano passado, evidência da nossa solidez operacional e disciplina financeira.

Tal como temos vindo a mencionar, o nosso ritmo de geração de FCF e a nossa estrutura de capital conservadora representam uma base muito sólida para um crescimento contínuo e sustentável da remuneração acionista. Reflexo da confiança nas nossas perspetivas operacionais e na nossa capacidade de gerar resultados no longo prazo, o dividendo proposto cresce de forma significativa, para 30 cêntimos de euro por ação.

Também ao nível da nossa estratégia de sustentabilidade, demos passos importantes ao longo do último ano. Sendo considerada uma prioridade estratégica, as linhas orientadoras que nas quais ela assenta e que fazem parte do nosso ADN, têm sido partilhadas e aplicadas transversalmente em toda a organização. Este ano, apresentamos, pela primeira vez, o nosso desempenho de sustentabilidade, alinhado com as diretrizes de reporte da Global Reporting Initiative – a GRI Standards. Estamos convictos da importância de agir de forma responsável para assegurar a competitividade a longo prazo, incluindo o papel do nosso setor de atividade para o futuro sustentável da sociedade. Continuamos comprometidos com os dez Princípios do Global Compact e em contribuir para a concretização dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas.

Os projetos transformacionais em curso lançam as bases para uma organização melhor equipada para endereçar os desafios do nosso setor e as exigências de um consumidor cada vez mais sofisticado. Estou certo de que temos a melhor equipa e ativos para ter sucesso e de que continuaremos a merecer a confiança colocada em nós pelos nossos clientes, colaboradores, acionistas, restantes parceiros de negócio e stakeholders.

Miguel Almeida