Chefia: Como despedir um funcionário em plena crise da forma correta


A atual crise irá infelizmente levar várias empresas a terminarem alguns dos seus contratos, lutando por manter o funcionamento a longo prazo, contudo, este processo nunca é fácil nem simples. De igual forma, comunicar a decisão ao profissional é um desafio por si só.


LEIA TAMBÉM: Chefia: Expressões condescendentes que deve evitar


Escolha a altura e o local certo

Informar o profissional do fim do contrato em público ou no início do horário de trabalho é algo que deve evitar. Espere até ao final do dia, chame o funcionário à parte e informe-o da decisão tomada, sublinhando que não se trata de uma insatisfação com o seu trabalho mas sim uma necessidade. Caso esteja em trabalho remoto (teletrabalho), opte por realizar uma videochamada, ou uma chamada telefónica, e nunca opte pelo envio de uma mensagem texto.


Seja claro quanto aos próximos passos

Após receber a informação, é natural que o profissional tenha dúvidas. Até quando terá de trabalhar, qual o valor do seu último ordenado, o que acontece às férias por tirar, qual a possibilidade de receber uma carta de recomendação e apoio na procura de outro cargo, entre muitas outras. Tenha uma conversa calma e disponibilize-se para responder a tudo isto e a qualquer outra questão que você saiba ser importante.


Não alimente uma esperança sem certezas

Pode sentir o desejo de informar o profissional de que ele estará no topo da lista de novas contratações quando a crise passar, contudo, isto pode prejudicar gravemente o funcionário. Sentindo que esta é uma paragem momentânea, ele pode optar por tirar férias prolongadas ou até ingressar num cargo menos cativante, acreditando que se trata de algo temporário quando, na realidade, é impossível você ter a certeza de que um dia o contratará de volta. Pode mencionar que tem intenções de o contratar mas deixe claro que esta possibilidade pode estar bem longe ou pode até nunca acontecer.


Não se vitimize

O profissional acabou de perder o cargo, uma mudança que será fonte de stress e incerteza. Ele é a vítima real pois é a sua vida que está em jogo. No entanto, algumas chefias sentem a necessidade de expressar o “quão difícil” a decisão foi para elas, retirando o foco do funcionário e colocando-o em alguém que, apesar de tudo, continua empregado e numa posição de poder.


LEIA TAMBÉM: Produtividade: Como a chefia pode prejudicar a equipa involuntariamente


Lembre-se que existem outras estratégias para cortar nas despesas que não envolvem diminuir o número de profissionais da sua empresa. Use esta decisão como último recurso. Algumas alternativas incluem rever os custos com softwares não fundamentais, gastos com rendas, água e luz, entre outros.


Keywords: Chefia, Despedimento, NOS Empresas, CUE, Criar uma Empresa, Empreendedor, Empreendedorismo


Casos de sucesso

Empreendedores de sucesso explicam como nasceram os seus negócios

Saber mais

Tendências

Atualidade e inovação: o que está a mudar no empreendedorismo

Saber mais

Guias Fiscais

Datas de entregas de documentos e obrigações de pagamento de impostos

Saber mais

Notícias

Últimas novidades sobre o universo do Empreendedorismo

Saber mais