A NOS, em parceria com a IDC, empresa líder mundial na área de Market Intelligence divulga os resultados do terceiro estudo desenvolvido no âmbito do Portugal Tech Insights 2020, que pretende fazer uma análise ao estado do social business entre as organizações portuguesas.

O Facebook é a rede social mais usada pelas organizações portuguesas que têm presença nestas plataformas e as redes com mais potencial de crescimento são o Instagram e o Youtube. São dados do estudo “Social Business: como criar valor para o seu negócio?”

O estudo identificou que 70% das organizações com presença nas redes sociais tem uma página corporativa no Facebook. O LinkedIn é a segunda rede social com maior utilização corporativa, com 54%, seguindo-se o YouTube, com 44%. Seguem-se o Twitter (42%), Google+ (33%), Instagram (19%), Vimeo (10%) e Pinterest (9%).

As redes com maior interesse e potencial de crescimento no mundo corporativo são o Instagram - 19% das organizações com presença nas redes sociais tem planos de desenvolver a presença neste meio - e o YouTube, com 18%.



Os resultados foram publicados no microsite do projeto – Portugal Tech Insights 2020 .

O social business é definido como um conceito alargado que envolve todos os fluxos e processos de trabalho sociais – internos e externos – de uma organização. Estes processos incluem, por exemplo, as experiências de clientes, colaboradores e parceiros, suportadas por tecnologias que interagem através dos três componentes: redes sociais corporativas, gestão da inovação e socialytics.

No estudo conclui-se que a perceção das organizações nacionais sobre o valor destas soluções ainda está centrada sobretudo no suporte às atividades de marketing e no suporte a clientes através das redes sociais, sendo necessário um melhor entendimento do impacto do Social Business na transformação digital das organizações através da experiência dos clientes, comércio, colaboradores, inovação (produtos e serviços) e redes de parceiros.




No caso concreto de Portugal, e em comparação com Europa Ocidental, os dados recolhidos evidenciam que as médias e grandes organizações encontram-se muito atrasadas, na medida em que apenas 13% estão nos níveis mais altos de maturidade (nível gerido e otimizado), face aos 20% na Europa Ocidental.


Principais conclusões

Metodologia