NOS apresenta crescimento recorde

Resultado Líquido cresce 30,7% no 2ºTrimestre de 2015

O Resultado líquido da NOS cresceu 30,7% para 24,1 milhões de euros no segundo trimestre deste ano. No mesmo período as receitas cresceram 3,2% para 355,9 milhões de euros e o EBITDA melhorou 3,6%, para 138,5 milhões de euros.

A NOS registou no segundo trimestre, um extraordinário desempenho operacional, tendo ultrapassado a barreira dos 8 milhões de serviços e registado crescimentos em todas áreas de negócio, ganhos de quota de mercado e consolidação a sua posição competitiva de operador global. O número de subscritores de televisão ultrapassou, neste trimestre, os 1,5 milhões e o segmento móvel ganhou mais de 130,8 mil novos clientes em apenas três meses.

Para Miguel Almeida, CEO da NOS, “Os resultados do segundo trimestre deste ano foram muito significativos. Num contexto desafiante, sem abrandamento da pressão concorrencial e em reta final do processo de integração a decorrer, atingimos níveis de performance financeira e operacional, absolutamente extraordinários. Registamos ganhos de quota de mercado, mantivemos a intensidade do nosso plano de investimento e criamos muito valor para os nossos clientes”.

Destaques Financeiros
• O Resultado Líquido no segundo trimestre de 2015 situou-se em 24,1 milhões de euros, mais 30,7% do que do período homólogo do ano passado.

• As Receitas de Exploração consolidaram o crescimento já verificado no trimestre anterior, com um crescimento de 3,2% no segundo trimestre para 355,9 milhões de euros.

• O EBITDA consolidado regressou ao crescimento, ao registar uma variação anual positiva de 3,6%, para 138,5 milhões de euros, confirmando a tendência de recuperação já verificada nos trimestres anteriores. O EBITDA do segmento de telecomunicações apresentou um crescimento de 3,3%, com a margem EBITDA deste segmento a evoluir favoravelmente para os 38,1%.

• O investimento (CAPEX total) atingiu 102,4 milhões de euros, um valor superior ao verificado no período homólogo devido ao plano de expansão de rede e à aceleração do investimento comercial.

Destaques Operacionais
• O número de serviços atingiu um crescimento recorde, com a adição líquida de 248 mil serviços, ultrapassando pela primeira vez os 8 milhões. O número de clientes convergentes registou uma forte evolução, tendo crescido perto de 153% para 509,8 mil.

• A base de clientes de TV por subscrição ultrapassou a barreira dos 1,5 milhões, mais 1,9% que no mesmo período do ano passado, tendo registado adições líquidas de 13,9 mil clientes no segundo trimestre de 2015.

• O número de subscritores de móvel registou um crescimento extraordinário de cerca de 14% para 3,86 milhões, com adições líquidas de 130,8 mil subscritores no segundo trimestre de 2015.

• De assinalar também, o crescimento nos serviços de Banda Larga fixa, com adições líquidas de 39,5 mil clientes neste período, atingindo 1,067 milhões.

• O número de utilizadores com acesso à plataforma IRIS continua a aumentar, tendo atingido os 784,2 mil clientes, com 41,6 mil adições líquidas neste segundo trimestre.

• A base de subscritores de telefone fixo cresceu de forma acentuada, ultrapassando os 1,55 milhões.

• O número de serviços empresariais aumentou 13,7% para 1,17 milhões, refletindo o crescimento nos diferentes serviços, sobretudo devido aos clientes Corporate conquistados em trimestres anteriores e ao contínuo crescimento da NOS no mercado junto dos segmentos das micro e pequenas empresas.

• No segundo trimestre, a cobertura da rede fixa de nova geração foi reforçada, com o número de casas passadas a aumentar em cerca de 75 mil. O número de lares com cobertura atinge agora 3,468 milhões face aos 3,243 milhões registados no mesmo período do ano passado.

• O negócio de cinema e audiovisuais voltou a verificar, no segundo trimestre, um assinalável crescimento, motivado por um forte desempenho dos filmes exibidos e distribuídos, e pelo aumento das vendas de bilhetes em 19,5% face ao trimestre homólogo de 2014.





Resultado líquido cresce 30,7% E EBITDA sobe 3,6%
A NOS atingiu, no segundo trimestre de 2015, um resultado líquido de 24,1 milhões de euros, ou seja, mais 30,7% que em igual período do ano passado, resultado do crescimento de todas as suas linhas de negócio e de claros ganhos de quota de mercado nos diversos segmentos.
As Receitas de Exploração consolidaram a inversão de quebra já verificada no trimestre anterior, apresentando um crescimento de 3,2% face ao período homólogo, tendo atingido 355,9 milhões de euros. Destaque para o comportamento das receitas no negócio de telecomunicações, que registaram um crescimento homólogo de 2,5%. O incremento das receitas foi ainda impulsionado pelo crescimento do contributo da divisão de cinemas, em 13% e do negócio de audiovisuais em 26,7%.

O EBITDA consolidado, na sequência da tendência de melhoria verificada nos trimestres anteriores, voltou a registar um crescimento face ao período homólogo, com uma variação de 3,6% para 138,5 milhões de euros, valor que compara com uma variação negativa de 4,8% no segundo trimestre de 2014. A margem EBITDA consolidada aumentou 0,2 pp para 38,9%. Na divisão de telecomunicações, o crescimento do EBITDA foi igualmente positivo com um incremento de 3,3% para 129 milhões de euros, substancialmente melhor que a variação negativa de 5% verificada no segundo trimestre de 2014.

A NOS continua fortemente comprometida em levar as suas redes de nova geração a todo o País. O investimento (CAPEX Total) registou um crescimento anual de 15,5% para 102,4 milhões de euros no segundo trimestre de 2015, devido ao plano de expansão de rede e à aceleração do investimento comercial.

No final deste trimestre, a dívida financeira líquida situou-se nos 1,092 milhões de euros, ou seja, 2,1x o EBITDA, um rácio conservador face ao mercado.

NOS bate recorde de serviços angariados ultrapassando 8 milhões com o móvel e a televisão em destaque

O segundo trimestre de 2015 foi o melhor trimestre de sempre da empresa, com um crescimento em todas as suas linhas de negócio. Neste período, a empresa ultrapassou a barreira dos 8 milhões de serviços prestados, com um forte desempenho da área móvel e dos serviços fixos de televisão, internet e telefone.

A NOS registou, no segundo trimestre e pela primeira vez desde o último trimestre de 2012, um crescimento homólogo de 1,9% na sua base de clientes de televisão, tendo ultrapassado os 1,5 milhões de subscritores. A tendência positiva já verificada nos trimestres anteriores, com adições líquidas de 7,1 mil no último trimestre de 2014 e de 11,9 mil no primeiro trimestre deste ano, consolidou-se ainda mais com a adição de 13,9 mil clientes no trimestre em análise.

O crescimento foi a tónica comum a todas as áreas de atividade e serviços prestados pela NOS. A empresa registou adições líquidas em todos os serviços de telecomunicações: televisão por subscrição, de acesso fixo e por DTH, banda larga fixa, voz fixa e serviços móveis, pré-pagos e pós-pagos. A convergência continuou a ser o grande factor de diferenciação e de proposta de valor.

Este crescimento foi acompanhado pelo reconhecimento da qualidade dos serviços que disponibiliza. A NOS, de acordo com o estudo ECSI Portugal 2014 – Índice Nacional de Satisfação do Cliente, é considerada pelos portugueses como a empresa que melhores serviços presta em televisão e na voz fixa. Os serviços de última geração chegam a cada vez mais portugueses, através do investimento que a NOS tem vindo a realizar nas suas infra-estruturas. A cobertura de rede fixa alargou-se, neste trimestre a mais 75 mil lares, maioritariamente fora dos grandes centros urbanos.

No final do segundo trimestre, a NOS tinha 509,8 mil clientes de serviços convergentes, ou seja, mais 2,5 vezes do que no período homólogo e representando 34% da base total de subscritores de televisão. O total de serviços convergentes aumentou perto de 143% face ao segundo trimestre de 2014 para 2,44 milhões. A NOS terminou este trimestre com mais de 8 milhões de serviços prestados.

Na banda larga fixa e na voz fixa, a empresa registou adesões líquidas de 39,5 mil e 59,6 mil clientes respectivamente, uma performance bastante acima da registada nos trimestres anteriores, totalizando 1,067 milhões e 1,55 milhões de clientes respetivamente.

O interface IRIS continua a verificar fortes adesões, tendo adicionado mais 41,6 mil utilizadores no segundo trimestre, representando já uma penetração de 86,7% entre os clientes de 3,4 & 5 P. O número de utilizadores da IRIS atingiu 784,2 mil. No segmento de televisão, a NOS reforçou mais uma vez a sua aposta de inovação contínua, tendo sido o primeiro operador a disponibilizar dois canais em tecnologia 4K.

O segmento móvel continuou com um forte registo de crescimento sobretudo motivado pelas ofertas convergentes. O número de subscritores de móvel cresceu 13,7% para 3,86 milhões, com adições líquidas a atingirem 130,8 mil neste trimestre. Além do crescimento no pós-pago de 125,7 mil clientes, a NOS registou, pela primeira vez em dois anos, um aumento também nos pré-pagos, de 5,1 mil clientes. Os clientes pós-pagos representavam, no final do período em análise, 47% da base de subscritores móveis, face aos 38% verificados no período homólogo de 2014.

No segmento empresarial, a NOS continua a incrementar o seu desempenho, com o número de serviços a aumentar 13% para 1,171 milhões. Neste período, o número de serviços de televisão cresceu 29,1%, os serviços de banda larga incrementaram 24,2% e os serviços de voz apresentaram uma progressão de 24,4%. O número de serviços móveis atingiu 702,6 mil, ou seja, mais 7,1% que em igual período do ano passado. A NOS continua a incrementar a sua presença neste segmento, tendo voltado a distinguir algumas das mais inovadoras empresas nacionais, nos seus prémios Inovação.

A área de cinemas da NOS continuou a registar neste trimestre um forte desempenho, com a venda de bilhetes a aumentar cerca de 20% face ao período homólogo de 2014, ultrapassando os 2 milhões de bilhetes vendidos. Para tal contribuiu a exibição de sucessos como “Velocidade Furiosa 7”, “Os Vingadores: Era de Ultron”, “Parque Jurássico”, “Mad Max” e “Divertida-Mente”. De realçar também a abertura neste trimestre do segundo cinema IMAX, desta feita no Porto.

Nos audiovisuais, a NOS foi a responsável pela distribuição de 8 dos 10 dos filmes com maior sucesso do trimestre, incluindo os 5 mais vistos, mantendo a sua posição de liderança também neste segmento.