5G

Tecnologia e energia lado a lado por um mundo mais verde

Enquanto o sector energético caminha para as renováveis, a tecnologia evolui para a eficiência. Já a rede 5G é o ponto alto desta transição.

3 de setembro 2021

Torres eólicas, carros elétricos, transição energética. Cidades inteligentes, telecomunicações avançadas, transição digital. São dois caminhos que seguem em paralelo, rumo a um futuro mais sustentável, mas que frequentemente se têm cruzado, impulsionando a inovação de um lado e do outro. A tecnologia ajuda a garantir a eficiência energética nas casas, nas empresas e nas cidades. E o sector da energia, que caminha para uma produção essencialmente renovável, com menos recurso a combustíveis fósseis e menos poluição, alimenta uma sociedade que estará cada vez mais digitalizada e conectada. A rede 5G, ponto alto da transição digital, será uma peça fundamental na sustentabilidade energética.

Dois séculos de inovação e parceria

A tecnologia tem sido essencial ao longo dos séculos para desenvolver a economia e garantir o progresso, sendo o principal driver das transformações que ocorreram, muitas vezes associadas à comunicação. E alguns dos primeiros investigadores no domínio da eletricidade, ainda no século XIX, foram também impulsionadores da descoberta das ondas de radiofrequência, que foi do modesto telefone às redes móveis e à internet da atualidade. Desde a primeira chamada no laboratório de Alexander Bell em Boston e da primeira lâmpada elétrica que Thomas Edison acendeu em Nova Jérsia, passaram 150 anos que transformaram o mundo.

" O mundo moderno e global cresceu à base da tecnologia. A energia alimentou toda essa evolução

5G

A tecnologia ergueu a indústria, a agricultura, o comércio, criou o mundo moderno que hoje habitamos, onde as comunicações são cada vez mais fáceis e as pessoas estão mais ligadas. Uma economia e sociedade verdadeiramente globais. E a energia alimentou toda essa evolução, muito assente na energia elétrica que saiu das barragens, mas principalmente nos combustíveis fósseis, que possibilitaram um crescimento rápido e fácil.

União global em torno das energias renováveis

O tema da sustentabilidade, das alterações climáticas e das energias renováveis como alternativa ao petróleo tem vindo a ganhar cada vez mais relevância nas últimas décadas. A neutralidade carbónica está na ordem do dia e os alertas dos cientistas - longe vai o tempo da redução da camada do ozono e do degelo polar, o risco já está no colapso da corrente do Golfo - levaram a maioria dos países da ONU a juntarem-se no Acordo de Paris e nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável para 2030.

Há finalmente um movimento global em torno da transição energética e da neutralidade carbónica, que muitos países apontam para 2050, como Portugal. Algumas empresas pretendem até atingir a meta da neutralidade carbónica mais cedo, como a NOS, que aponta 2040 como o ano das emissões zero. É uma tarefa difícil, mas menos se pensarmos que uma só turbina eólica pode alimentar milhares de habitações. Mesmo ao nível do emprego as expectativas são boas, um estudo do Departamento de Energia dos EUA estima que as renováveis criam 5 empregos por cada novo trabalhador na área dos combustíveis convencionais.

"Segundo a Agência Internacional de Energia, as renováveis cresceram 45% em 2020, ao passo que o consumo de carvão caiu 4%, a maior descida desde a Segunda Guerra Mundial

A sociedade precisa de energia, de eletricidade verde - que pode vir do vento, do sol ou da água - e as renováveis continuam numa rota de crescimento imparável. Segundo a Agência Internacional de Energia, a capacidade de produção renovável cresceu 45% em 2020, o maior aumento de sempre, enquanto todas as outras fontes de energia desceram. O carvão teve mesmo a maior queda desde a Segunda Guerra Mundial, 4%. E ao nível dos consumidores, a pandemia só veio acelerar a transformação da sociedade, tanto no aumento do teletrabalho e do tempo passado em casa, como na preocupação com o ambiente, com a vida saudável na rua, com mais bicicletas e menos carros.

Rede 5G para o ponto de viragem energético

Completar a transição energética e tornar o comboio verde imparável depende também da tecnologia, a mesma que tem ajudado à evolução da produção e distribuição das renováveis. O consumo de eletricidade vai aumentar exponencialmente nos próximos anos. Toda a vida das pessoas será ‘elétrica’, e é a tecnologia que ajuda a garantir a eficiência necessária em casa, nas ruas, nas empresas.

Inovações como a rede 5G, que se está a expandir pelo mundo e em breve estará disponível também em Portugal, voltam a colocar a tecnologia na mesma rota da energia. As capacidades da quinta geração móvel vão ajudar a ligar todo o tipo de equipamentos - desde os eletrodomésticos aos carros, desde os semáforos à iluminação, desde as máquinas industriais aos hospitais, escritórios ou escolas -, que melhoram a eficiência e a comunicação, o que se traduz em menores consumos de energia.

" O 5G volta a colocar energia e tecnologia na mesma rota, desta vez para um mundo mais sustentável, com o reforço da eficiência energética e da digitalização

A sustentabilidade não está apenas na energia que se deixa de gastar. O aumento da digitalização com o 5G, através do recurso à cloud, à Internet of Things e à inteligência artificial, permite diminuir o tamanho dos equipamentos, aumentar a sua produtividade e durabilidade. Sem esquecer o próprio consumo de papel ou toda a energia que se poupa com mais trabalho à distância, mais reuniões em ambiente virtual. Segundo o GeSI, associação empresarial que promove o desenvolvimento com base na sustentabilidade, o enabling impact das comunicações digitais, como a rede 5G, pode permitir aos outros sectores baixarem as emissões poluentes em 20% até 2030. Esse potencial tecnológico estará também ao serviço do sector energético, um reforço para reduzir cada vez mais os custos das renováveis, para afastar definitivamente os combustíveis fósseis da equação.

NOS e o caminho para a sustentabilidade

Um dos lemas dos movimentos de combate às alterações climáticas passa pela necessidade de trabalhar em conjunto, aproveitar as vantagens de cada um para o benefício de todos. O objetivo da NOS para a transição energética, de contribuir para um mundo mais sustentável, tornou natural uma parceria com a EDP Comercial. Depois de um acordo para compra de eletricidade 100% verde nos próximos 11 anos, esta parceria representa uma redução de 17 toneladas de CO2 por ano, o equivalente a 285 mil viagens de carro entre Lisboa e Porto.

" "A mudança é urgente e requer o compromisso de todos. Com a EDP, juntamos forças para promover a transição energética da nossa operação, mas também do nosso país”, Miguel Almeida, CEO da NOS

O 5G em Portugal vai acelerar ainda mais a transformação da sociedade e da economia, reforçar a necessária sustentabilidade do planeta. Tecnologias como esta são essenciais para reduzir as emissões poluentes até atingir a neutralidade carbónica. A NOS quer antecipar assim esta mudança para um mundo mais verde. Com a NOS, faz o que ninguém fez.

Share this

Artigos Relacionados

  • NOS transforma o Hospital da Luz no primeiro Hospital 5G de Portugal

    hospital 5G

    NOS transforma o Hospital da Luz no primeiro Hospital 5G de Portugal

    A parceria entre a NOS e o Grupo Luz Saúde vai transformar os cuidados de saúde no nosso país

  • Tecnologia 5G para um futuro mais sustentável

    Luis Neves GESI

    Tecnologia 5G para um futuro mais sustentável

    A tecnologia está ligada à “melhoria das condições de vida”, afirma Luís Neves, CEO do GeSI, e acredita que “o 5G vai ser fundamental para que Portugal avance ainda mais”.

  • Gerd Leonhard: "Estou muito entusiasmado com o 5G."

    Gerd Leonhard

    Gerd Leonhard: "Estou muito entusiasmado com o 5G."

    O conhecido futurista alemão acredita que “a lista de oportunidades do 5G tem milhas de comprimento” e que podemos resolver os principais problemas do mundo com tecnologia.