Empreendedorismo

Como abrir um Cabeleireiro


A área da estética mantém-se como uma das mais procuradas e cogitadas na altura de se avançar com um negócio próprio. Os custos de implementação do projeto não muito elevados, quando comparados com outros negócios similares (como os SPA, por exemplo), tornam este negócio apetecível. Os cuidados pessoais podem diminuir em tempo de crise mas o baixo custo da maioria dos serviços prestados reduz muitos dos riscos associados à perda de clientes. Além destes fatores de ordem financeira, a eliminação do tempo de espera de licenças deu origem a que, apesar de ter de cumprir com os requisitos legais, o empreendedor não necessita de licença para abrir um cabeleireiro.

Ainda assim, é necessário precaver e pensar numa série de temas.

Planear. Como em tudo, é por aqui que se começa. Pela pesquisa de espaços, rendas, valores, salários, preços de consumíveis, custos fixos, tudo terá de ser levado em linha de conta nesta fase.

Tipo de negócio. Depois do trabalho de pesquisa, e após ter uma ideia concreta do mercado e dos seus respetivos valores, é hora de pensar em que tipo de negócio se pretende. O que deriva, quase diretamente, do tipo de preços a praticar e da localização. Pretende-se algo mais simples, com os serviços básicos de cabeleireiro e estética? Ou pode enveredar-se para qualquer coisa mais refinada, mais complexa, mas com outros valores, outro público e outra margem de comercialização?

Público. E por falar em tipos de negócio, fala-se em público-alvo. Quem são as clientes que se quer atrair? Onde andam? O que consomem? Quanto estão dispostas a pagar? Destas respostas derivam ainda o tipo de salão a montar.

Espaço. Mais uma vez, a disposição do espaço também depende do tipo de negócio que se pretende. Se o salão de cabeleireiro está destinado a clientes mais abastadas, é importante perceber que terá de ser mais composto, com materiais mais nobres, com um ambiente mais refinado. Se, por outro lado, se pensa abrir um negócio mais simples, de serviços mais rápidos, o salão não necessita de ser tão complexo. Tudo depende de quem se quer atrair e quanto se quer cobrar. Quando mais elevado o preço melhor terá de ser o serviço.

Ambiente. Seja qual for o tipo de salão, a preocupação com o ambiente deverá ser constante, ainda que difira de espaço para espaço, como já se referiu. A luz, ventilação, som ambiente, mobiliário, e, claro, o serviço, podem fazer ou desfazer um negócio.

Equipa. Fundamental. Os cabeleireiros são, muitas vezes, os confidentes das suas clientes e há uma relação de confiança que se estabelece. Um bom profissional pode trazer muitas clientes, pelo que é imprescindível que o salão tenha a reputação certa.


Requisitos Legais
Com a entrada em vigor da diretiva Licenciamento Zero, deixou de ser necessária licença para abrir um salão de cabeleireiro nem os profissionais que nele trabalharem são obrigados a carteira profissional. O Licenciamento Zero pressupõe que o local não necessite da realização de obras que necessitem de licença e que o empreendedor já tenha licença de utilização para comércio e/ou prestação de serviços.

Ainda assim, existem imposições técnicas:
1. Pé direito do espaço: mínimo 3 metros
2. Locais com permanência de pessoas terão de ser ventilados, seja por janelas ou ar condicionado
3. Obrigatoriedade de instalação sanitária que não comunique com os clientes
4. Paredes e pavimentos devem ser revestidos com materiais de fácil limpeza, ser resistentes e impermeáveis
5. As rampas de lavagem deverão ter água fria e quente e os seus tampos terão de ser de material lavável
6. Secadores e material elétrico terá de ser certificado
7. Tem de haver uma zona compartimentada para que os utensílios possam ser lavados
8. É obrigatório haver utensílios e produtos para desinfeção de materiais cortantes e em contacto com a pele.


Equipa
Por forma a facilitar e simplificar o acesso a cursos técnicos com formação obrigatória, o decreto-lei 92/2011 estipulou que não é necessária a obtenção de uma carteira profissional para desenvolver qualquer uma das seguintes atividades:

Cabeleireira;
Barbeiro;
Manicura;
Pedicura;
Esteticista;
Massagista de estética;
Calista.


Assim sendo, são estes os passos para abertura de um cabeleireiro:

1. O local não necessita de obras e já tem licença de funcionamento para comércio
2. O empreendedor responsabiliza-se por cumprir todos os requisitos técnicos e legais que o negócio envolve
3. Entrega a declaração prévia na Câmara Municipal
4. 20 dias depois pode abrir as portas ao público



Áreas de investimento inicial
Encargos com a constituição da empresa
Bancadas com espelho
Conjuntos de lavagem
Sofás
Cadeiras de corte
Móvel de receção
Vaporizador
Prateleira de exposição de produtos
Bengaleiro
Mesa de ajudante
Material Informático e caixa registadora (1PC, 1 Multifunções e software adequado)
Promoção
Iluminação
Som
Ar Condicionado
Produtos


Áreas de custos fixos
Salários
Renda
Custos de empréstimos (se houver)
Consumíveis (água, luz, telefone, internet, etc)
Produtos
Promoção
Contabilidade


Contactos úteis
Associação dos Industriais de Cosmética Perfumaria e Higiene Corporal (AIC)
Associação Portuguesa de Barbearias e Cabeleireiros e Institutos de Beleza
Clube Artístico dos Cabeleireiros de Portugal

Guias Teóricos

Ideias e guias sobre tudo o que precisa de saber para criar um negócio

Saber mais

Casos de sucesso

Empreendedores de sucesso explicam como nasceram os seus negócios

Saber mais

Inspirações

Livros, filmes, séries e jogos para inspirar o seu negócio

Saber mais

Notícias

Últimas novidades sobre o universo do Empreendedorismo

Saber mais