5G

O 5G faz o que
nunca se fez

O 5G junta o presente e o futuro num mundo em que milhões de dispositivos se ligam em tempo real, a velocidades nunca vistas. É uma transformação profunda do papel que a tecnologia desempenha na sociedade, graças a uma rede ágil e inovadora, construída à medida das pessoas, da economia e do ambiente.

A chegada do 5G a Portugal é uma oportunidade para o país se desenvolver numa era verdadeiramente digital, onde tudo e todos estão ligados. Com a NOS, é a possibilidade de fazer o que ninguém fez.

O que faz o 5G

O pensamento e a ação quase se fundem no 5G. É muito mais rápido, sim, mas o 5G também traz uma resposta imediata e consegue conectar milhões de pessoas e equipamentos ao mesmo tempo. Sem falhas, com inteligência e com toda a segurança.

5g_wheel

Entender melhor o 5G

Icon Frequências 5G em Portugal

Frequências 5G em Portugal

A rede 5G em Portugal começa por operar em duas bandas de frequência: 700MHz e 3.5GHz.

A de 700MHz garante coberturas alargadas a todo o território logo nos primeiros anos; e a dos 3.5GHz permite velocidades acima de 1 gigabit por segundo (1 Gbps), abrindo portas a novos serviços.

Icon Massive MIMO

Massive MIMO

A rede NOS é mais eficiente no 5G graças à tecnologia de antenas Multiple Input Multiple Output (MIMO).

Permite uma capacidade muito maior ao agrupar até 64 antenas na faixa de 3.5GHz. Com os dados a circular paralelamente, evita-se a sobrecarga e assegura-se a experiência.

Icon Latência ultra baixa

Latência ultra baixa

O tempo de conexão, ação e confirmação da receção (round-trip) entre dispositivos é incrivelmente reduzido: entre 1 e 20 milissegundos de latência.

Icon Densidade

Densidade

O número de conexões que uma rede consegue suportar ao mesmo tempo multiplica-se com o 5G.

A densidade pode chegar a um milhão dispositivos num só km2, garantindo a fiabilidade em qualquer ponto de Portugal.

Icon Internet of Things (IoT)

Internet of Things (IoT)

A rede 5G da NOS vai desenvolver a Internet das Coisas: a ligação massificada de dispositivos e objetos à internet.

Icon Smart Cities

Smart Cities

Com o 5G é possível uma digitalização nunca antes vista das infraestruturas e serviços das cidades portuguesas, tornando-as mais verdes, eficientes e com melhor mobilidade.

Icon Beamforming

Beamforming

A cobertura e eficiência da rede 5G da NOS é melhorada através da concentração de sinal num local ou recetor.

Esta técnica permite dirigir a receção ou a transmissão de sinal para um ponto específico em função das necessidades.

Icon Network Slicing

Network Slicing

A rede 5G pode criar divisões nas frequências para que serviços críticos sejam sempre assegurados - como na saúde, na segurança pública, ou na resposta a emergências.

Missões Críticas - URLLC
As comunicações de baixa latência e ultra fiabilidade (URLLC) permitem utilizações em tempo real para serviços de alta exigência como veículos autónomos, telemedicina ou indústria conectada.

Conexões Massivas - mMTC
As comunicações massivas entre máquinas permitem conetar até um milhão de dispositivos por km2, com centenas ou milhares de milhões de ligações em simultâneo sem sobrecarregar a rede.

Num mundo smart, hipersensorizado e produtor de informação, as mMTC possibilitam a integração de sensores em roupa, acessórios, eletrodomésticos ou drones.

Experiências imersivas - eMBB
Com 10 Gbps de velocidade máxima e até 10 mil vezes mais tráfego, a banda larga móvel melhorada (Enhanced Mobile Broadband) responde a mais exigência e capacidade, e melhora os serviços do dia-a-dia, como videochamadas, streaming 4k, realidade virtual e aumentada, entre outros.

Icon Edge Computing

Edge Computing

O 5G permite tempos de resposta da rede mais baixos e maior capacidade para correr algoritmos complexos, como os de inteligência artificial.

Isso consegue-se através do processamento de informação próximo do local de origem.

Icon Indústria 4.0

Indústria 4.0

A 4ª revolução industrial inicia-se com as vantagens 5G possíveis com a NOS.

Há uma maior interligação das máquinas, sistemas de produção e equipamentos, para aumentar a produtividade e melhorar a eficiência empresarial em Portugal.

5g_wheel

Perguntas frequentes sobre 5G

O que é o 5G?

A 5ª Geração de Comunicações Móveis, vulgarmente designada por 5G, é o grande salto evolutivo face às redes 4G. Proporciona uma experiência muito melhor de utilização em termos de:

Velocidade - Até 100 vezes superior ao 4G,
Menor latência - Tempos de resposta que, logo numa primeira fase, podem ser metade do 4G
Maior densidade - Número de equipamentos conectados chega a um milhão por km2, especialmente aplicável a sensores e terminais de IoT (Internet das Coisas)

Como funciona o 5G?

Tal como quando ligamos a televisão ou o portão da garagem com comando, o 5G funciona através de ondas de radiofrequência (RF). Usa uma rede de antenas de small cells, do tamanho de uma mochila. Estas antenas 5G foram concebidas para se integrarem no ambiente e na paisagem urbana, podendo ser instaladas em postes de eletricidade ou candeeiros de rua.

Como é que a latência do 5G se compara com a do 4G?

O 5G permite maiores velocidades e volumes massivos de dados para vários utilizadores em simultâneo. Mesmo em áreas de elevada densidade como aeroportos, estádios ou zonas urbanas, os utilizadores conseguem velocidades ultrarrápidas e tempos de resposta mais baixos. Por outro lado, o 5G vai ser também um forte impulsionador da Internet das Coisas (IoT), possibilitando que dispositivos inteligentes se ligem entre si e à internet.

As redes 5G suportam até 1 milhão de dispositivos por km2, o que corresponde a um aumento de 100 a 1000 vezes a densidade atual. Principalmente graças à tecnologia NB-IoT (Narrow-Band IoT), disponível numa 2ª fase das redes 5G. A capacidade da rede NB-IoT ainda está muito longe de ficar esgotada.

Como se comparam o 5G e o 4G na experiência do utilizador?

Numa primeira fase, com serviços do tipo evolved mobile broadband, o utilizador tem acesso a velocidades acima de 1 gigabit por segundo (Gbps) - assumindo uma rede 5G na faixa 3500 MHz com 100 MHz de largura de banda. Associadas a uma latência inferior ao 4G, estas velocidades proporcionam uma experiência 'instantânea', suportando vídeos 4K num smartphone sem perdas, ou gaming similar às redes fixas.

Em ambientes ou aplicações empresariais, a velocidade e latência vão aumentar a capacidade produtiva e permitir maior mobilidade de equipas, garantindo acesso à cloud e a servidores ou aplicações internas em todo o lado, também como na rede fixa.

O 5G é importante porquê?

O 5G vai ser um impulsionador da evolução tecnológica em Portugal e transformar profundamente a sociedade como a conhecemos. As velocidades ultrarrápidas, os baixos tempos de resposta e o transporte de quantidades massivas de dados permitem conetar milhões de equipamentos e aplicações em simultâneo.

Maior segurança e eficácia na utilização de drones, os carros autónomos completamente interligados no trânsito, ou experiências 'instantâneas' de realidade virtual e aumentada são apenas algumas das aplicações possíveis do 5G. É todo um novo mundo com pessoas, edifícios, empresas e cidades sempre conetados entre si.

O que é uma Smart City e o que muda na comunidade?

A rede 5G traz inúmeras oportunidades para inovar a forma como vivemos, aprendemos, trabalhamos e consumimos entretenimento. No caso das Smart Cities (cidades inteligentes), o 5G permite otimizar e gerir de forma mais eficiente e sustentável os recursos, melhorando a vida dos cidadãos.

Estacionamento inteligente, gestão de frotas, visitas guiadas, preservação de arte, eficiência da iluminação pública, gestão de contadores de água, rega inteligente, mapas de ruído, poluição atmosférica e radiação ultravioleta são algumas áreas em que a NOS tem desenvolvido soluções inovadoras, que ainda podem melhorar com o 5G.

De que forma o 5G contribui para uma sociedade mais sustentável?

Segundo o Fórum Económico Mundial, tecnologias como o 5G e a IoT podem ajudar a reduzir as emissões globais 15% até 2030, o que é crítico para o combate às alterações climáticas. Com o 5G, a NOS abre o caminho para um quotidiano mais simples, instantâneo e imersivo em Portugal, com impactos a nível social e ambiental, desde o trânsito à iluminação, do abastecimento de água à resposta a emergências, da segurança à gestão de resíduos.

A rede 5G surge como um motor de transformação para novas tecnologias e modelos de negócios. Permite acelerar a evolução tecnológica com efeito positivo nas pessoas, na qualidade de vida, na sociedade, no mundo. Espera-se que este conjunto de transformações dê origem a uma sociedade capaz de viver de forma mais plena, equilibrada e sustentável.

As antenas 5G são seguras para a saúde?

Todos os equipamentos utilizados estão de acordo com as normas de segurança definidas pelos fabricantes e pela União Europeia. A exposição diária às radiofrequências emitidas pelas small cells 5G é equivalente à de produtos como intercomunicadores de bebé, routers Wi-Fi ou equipamentos Bluetooth.

Até que ponto estão estudadas as implicações para a saúde?

As recomendações atuais do ICNIRP (International Commission on Non-Ionizing Radiation Protection) estão sustentadas até 10 GHz, pelo que as implementações de 5G nas faixas dos 700MHz e 3.5GHz estão incluídas. No entanto, trata-se de um tema que continua a ser acompanhado e a NOS vai implementar todas as recomendações da indústria que surjam.

A NOS, em conjunto com os outros operadores, participa num grupo de trabalho com o INESC-INOV/IST, um projeto que estuda em profundidade a temática das radiações e da segurança (Projeto FAQtos: www.faqtos.pt). O FAQtos disponibiliza informação relevante sobre radiação eletromagnética em comunicações móveis, pretendendo esclarecer população e entidades públicas e privadas sobre o tema.

Que serviços 5G estarão disponíveis numa primeira fase?

A disponibilização da tecnologia 5G depende da atribuição do respetivo Direito de Uso de Frequências pela ANACOM. Neste momento todo o ecossistema 5G (rede, terminais) apenas está preparado para o serviço de internet (eMBB - enhanced Mobile BroadBand).

5 ideias falsas sobre o 5G

O 5G vai ser instrumental para as necessidades de comunicação de um mundo hiperligado. Mas muitas vezes a mudança tecnológica e a novidade trazem consigo receios - neste caso, injustificados. Esclarecemos alguns mitos e falsidades sobre a rede 5G.

O 5G não é necessário Icon Falso

O consumo de dados móveis tem crescido a um ritmo anual de 40%. O 5G vem dar resposta à necessidade de uma rede de telecomunicações que possa suportar cada vez mais ligações em simultâneo, e com maior eficiência. A quinta geração de comunicações móveis vai também redesenhar processos industriais, assumindo-se como o motor da transformação digital nos mais variados setores, desde a indústria à telemedicina e ao controlo de tráfego em tempo real, entre muitos outros exemplos.

O 5G vai eliminar o 4G Icon Falso

O 5G não vai substituir o 4G, nem esses equipamentos vão deixar de funcionar com a chegada da quinta geração. O 5G é toda uma nova tecnologia de comunicações móveis, em paralelo com as redes 4G existentes. Os utilizadores vão poder experimentar velocidades muito superiores às atuais, em qualquer lado e sem falhas, sendo necessário um equipamento 5G para isso.

O 5G causa problemas ecológicos e energéticos Icon Falso

O 5G é apontado como uma tecnologia de grande consumo energético e com uma pegada ecológica elevada. É precisamente o contrário. Na verdade, é a primeira tecnologia móvel a integrar normas de eficiência energética desde a sua conceção. As antenas 5G funcionam em standby, transmitindo dados apenas quando é necessário, e conseguem um consumo por GB transportado 50% inferior às antenas 4G. Em 2025, com o uso de 5G massificado, terão um consumo 10 vezes inferior por GB transportado, ao mesmo tempo que transmitem 10 vezes mais tráfego e interligam mais utilizadores.

O 5G está na origem da pandemia Covid-19 Icon Falso

A associação do 5G à pandemia de Covid-19 é uma teoria da conspiração sem qualquer fundamentação científica. Com uma grande disseminação online, esta corrente afirma que o novo coronavírus pode ser transmitido através de ondas rádio 5G. Os vírus não se deslocam através de ondas de rádio ou redes móveis, sendo antes transmitidos de pessoa para pessoa. Entidades como a Organização Mundial de Saúde e a Comissão Europeia já alertaram para a fraude desta teoria.

O 5G é perigoso para a saúde Icon Falso

Os receios em geral acerca da exposição às ondas rádio 5G são infundados. Face aos conhecimentos científicos atuais sobre o 3G ou o 4G, não existem dados que permitam concluir que a exposição a campos eletromagnéticos - abaixo dos limites internacionais estabelecidos para radiações não-ionizantes -, tem qualquer impacto na saúde humana. Todas as frequências de rádio utilizadas nas telecomunicações, incluindo o 5G, são radiações não-ionizantes. Em Portugal, a ANACOM, o regulador das telecomunicações, assegura o cumprimento dos limites de emissão das radiações pelos operadores.

A disponibilização da tecnologia 5G depende da atribuição do respetivo Direito de Uso de Frequências pela ANACOM.