NOS 5G: quatro conceitos para perceber a mudança

O 5G já anda nas bocas do mundo há algum tempo, mas possivelmente ainda não percebeu bem em que consiste esta nova tecnologia móvel e o que a destaca das anteriores.

26 de março de 2021

Há quatro conceitos que parecem complicados, mas que se explicam com facilidade e que ajudam a entender com toda a clareza a importância da rede 5G: Velocidade, Latência, Densidade e Fiabilidade. Veja como estas quatro palavras têm o poder de transformar a sua vida.

Velocidade: Quanto mais melhor


Nada mais simples. Se queremos mandar um email, descarregar um vídeo, publicar um conjunto de fotografias nas redes sociais ou jogar um jogo online no telemóvel, quanto mais rápido, melhor. O 5G vai subir a fasquia e vai ser possível chegar a velocidades de vários Gigas por segundo. Mas o que significa isso afinal? Significa que podemos descarregar um filme ou uma série completa em segundos, fazer streaming de vídeo de muito alta definição sem falhas (4K ou mesmo 8K), ou jogar um jogo online no telemóvel sem atrasos, o que pode fazer a diferença entre ganhar ou perder.

velocidade 5G

Latência: Quanto menos melhor


A palavra assusta, mas a latência não é mais do que o tempo de resposta da rede a uma determinada ordem. Na prática, é o tempo que demora desde um toque no ecrã do telemóvel até algo acontecer. Não é uma característica que desperte logo a nossa atenção (com excepção dos gamers que a conhecem bem), pois a latência das redes atuais já é baixa - ronda os 20 a 40 milissegundos, que é duas vezes mais rápido do que um piscar de olhos. Mas o 5G vai baixar este valor para metade logo no início, e evoluir depois para menos de 5 milissegundos - três vezes mais rápido do que o bater de asas do beija-flor mais veloz, que ainda assim consegue bater as asas 80 vezes por segundo. Esta latência vai ser muito importante em ações como o controlo remoto de robôs ou drones, as cirurgias à distância ou a condução de veículos autónomos em segurança.

latência 5G

Densidade: Quantos mais melhor


Quando sai de casa consegue com alguma facilidade ver as pessoas na rua, os carros com condutores e passageiros, as lojas e cafés abertos com funcionários e clientes. Tudo somado, algumas dezenas ou centenas de telemóveis à sua volta. Agora imagine outros dispositivos e sensores ligados à rede móvel, como semáforos, candeeiros, carros e outros veículos, máquinas de todos os tipos e até peças de roupa. Vai ser esse o mundo do 5G, onde tudo estará conectado, a funcionar em cooperação e sintonia para melhorar a nossa vida. Para isso é necessário suportar conectividade de uma grande densidade de dispositivos, e o 5G permite ligar até um milhão de equipamentos diferentes por km2 - uma área semelhante ao Parque das Nações, em Lisboa.

densidade 5G

Fiabilidade: Sempre, e segurança também


Além de velocidade, latência ou densidade, o 5G destaca-se por ser uma rede muito mais robusta do que as anteriores, e também mais versátil. Com o 5G é possível adaptar a rede às necessidades específicas de um local, de uma empresa, de uma cidade ou de uma autoestrada, o que se torna ainda mais relevante em caso de sistemas de segurança/emergência. A fiabilidade é possível devido à utilização de novos mecanismos de redundância, que otimizam o desempenho para equipamentos tão diferentes como telemóveis, robôs de precisão ou simples sensores urbanos de tráfego ou qualidade do ar. Além de tudo isto, a eficiência energética, a privacidade e a segurança estão asseguradas de raiz, algo que faz parte do desenho da rede 5G desde o início do seu desenvolvimento.

fiabilidade 5G

Partilhar