Meu Super: como as redes inteligentes estão a transformar as empresas

Meu Super: como as redes inteligentes estão a transformar as empresas

A transição digital é imparável, continua a crescer em vários setores da economia e, no retalho, já começou.

12 de novembro 2021

Imagine que recebe uma notificação de videochamada enquanto está a fazer compras num supermercado. É um colaborador da sua equipa de TI que precisa de ajuda para resolver uma interrupção de serviço num cliente, mostrando-lhe os ecrãs do backoffice. A ligação é muito fraca, a imagem tem má definição e não lhe permite ver as opções de configuração que o técnico tenta mostrar-lhe. A loja está cheia, as redes estão sobrecarregadas e não se consegue comunicar com clareza. Assim é muitas vezes o dia a dia de um supermercado, basta ver a quantidade de pessoas que usa o smartphone enquanto circula nas lojas, seja a falar ou a consultar aplicações.

Este é apenas um dos cenários onde são evidentes os benefícios do 5G enquanto facilitador das tecnologias de rede já existentes, como as soluções SD-WAN, que vão tirar partido da alta velocidade e da baixa latência, minimizando qualquer atraso ou falha.

Mas o que significa SD-WAN?

SD-WAN é a sigla de “Software-Defined Wide Area Network”, ou seja, rede de longa distância, definida por software. Uma WAN é a conexão entre redes locais (LAN) separadas por uma distância substancial, que pode ser de milhares de quilómetros. Ao ser “definida por software”, a WAN é configurada e gerida de forma programável, o que a torna fácil de adaptar e permite maior rapidez em contextos de mudança. Trata-se de uma solução que gere o fluxo de tráfego automaticamente e otimiza a largura de banda disponível, consoante as necessidades de acesso a aplicações. Esta tecnologia de redes virtuais inteligentes, customizáveis, escaláveis e seguras apresenta um grande potencial disruptivo para desenvolvimento de novos serviços e experiências no retalho.

SD-WAN

De facto, o setor está a passar por um processo de transformação imparável. Já não se trata de vender apenas produtos, é cada vez mais necessário oferecer experiências positivas de consumo, garantindo maior proximidade. Para uma insígnia como a Meu Super, com lojas em diferentes locais por todo o país, principalmente nas zonas menos urbanas onde se afirma como supermercado de bairro, a agilidade na implementação da rede empresarial, tipo “Plug & Play”, é um aspeto crucial. Graças a esta simplicidade, é possível ter um novo Meu Super pronto a abrir portas, a nível dos sistemas de rede, de forma ultra rápida e sem grandes intervenções técnicas. Através de um equipamento muito semelhante a um router convencional, toda a configuração pode ser customizada, desde a gestão de acessos aos protocolos de segurança.

Uma solução SD-WAN traduz-se em melhor desempenho e maior qualidade de serviço de telecomunicações, porque utiliza a capacidade instalada de modo mais eficiente e permite priorizar as comunicações das aplicações de negócio. É uma rede mais resiliente porque conta com dois acessos de telecomunicações complementares, os quais podem ser usados em simultâneo, aumentando a disponibilidade. A gestão centralizada das políticas de configuração simplifica os processos sem comprometer a segurança, graças à encriptação do tráfego ponto a ponto.

Quais são as vantagens da SD-WAN?

Na prática, algumas das vantagens imediatas na operação dos supermercados passam pela melhoria da experiência dos utilizadores, que passam a contar com um acesso mais fiável, robusto e seguro. É o que acontece quando são usados diferentes sistemas de informação nas operações de loja como, por exemplo, na ligação ao ecossistema de fidelização do Cartão Continente.

Esta é uma solução win-win, em que todos ganham. Traz vantagens para a gestão das lojas e para os clientes, que beneficiam claramente de uma solução de telecomunicações com um acesso principal e um secundário. Além de mais ajustada à realidade das suas operações, garante maior resiliência e permite balancear os fluxos de dados pelos dois acessos que passam a estar disponíveis. Como afirma José Carlos Alves, Gestor de Infraestruturas na SONAE MC, “a própria tecnologia tem a capacidade de garantir a qualidade de serviço para sustentar as aplicações de negócio, priorizando de forma adequada o tráfego de comunicações.”

Para os colaboradores do Meu Super, a introdução desta tecnologia é simples e transparente. José Carlos Alves salienta “a robustez e fiabilidade que se refletem numa melhor experiência de utilização dos sistemas de informação, o que faz aumentar a eficiência das operações.”

Do ponto de vista dos consumidores, todas as aplicações disponibilizadas em loja, que são usadas pelos clientes enquanto fazem as suas compras, beneficiam indiretamente das capacidades instaladas com esta tecnologia. Nota-se uma melhoria da experiência pela redução de tempos de resposta, ou seja, as ligações são rápidas e estáveis traduzindo-se numa maior satisfação do cliente.

A NOS foi a operadora responsável pela implementação, tarefa que “começou pela análise ao posicionamento e visão de mercado do Meu Super, com o intuito de identificar os benefícios de uma solução SD-WAN face às redes tradicionais”, explica Tiago Ribeiro, Diretor de Desenvolvimento de Negócio B2B NOS.

A Cisco é a parceira da NOS na implementação da solução SD-WAN que, como afirma Gonçalo Antunes, Gestor de Contas Empresariais na Cisco, permite reduzir custos operacionais e de infraestrutura, melhora o desempenho de aplicações empresariais e ferramentas de produtividade e, acima de tudo, otimiza a experiência do utilizador”.

No caso do Meu Super, a aplicação onde os franchisados podem aceder à gestão de stocks, para fazer encomendas, é disponibilizada num ambiente de cloud. Neste caso, a segmentação do tráfego permite criar regras específicas para impedir estrangulamentos na rede. Sendo mais importante a aplicação para pagamentos ou para colocação de encomendas na gestão de stocks, “esse tráfego vai ter prioridade sobre um tráfego que não é corporativo, que é de lazer do cliente”, explica o gestor.

Saiba o que pode fazer com a SD-WAN

As empresas podem estar focadas no seu negócio, com a garantia de que o desenho da rede é sempre o mais adequado em qualquer momento. O diretor da NOS, Tiago Ribeiro, salienta que as soluções SD-WAN representam melhorias acentuadas “no desenho e evolução da rede, com funcionalidades atualizáveis e também na visibilidade de todos os ativos, em tempo real, assegurando os níveis de segurança e resiliência mais exigentes.”

Numa visão do futuro, José Carlos Alves acredita que “o setor do retalho, como muitos outros, vai ter de adotar estes serviços cada vez mais distribuídos e com níveis de funcionalidade diferenciados, para continuar a melhorar a experiência dos consumidores e também dos colaboradores.”

A SD-WAN também permite a utilização simultânea de diversas tecnologias de acesso, sem que os utilizadores sintam qualquer diferença. Isto é particularmente relevante no retalho porque, conforme destaca o gestor da Cisco, “as empresas querem oferecer cada vez mais serviços adicionais para reter os clientes mais tempo nas lojas e levar a um aumento do consumo.” Aumenta a capacidade de processar informação e tomar decisões em tempo real, com impacto na experiência dos clientes durante o consumo de aplicações que usam essa informação, tornando-as mais diferenciadas e personalizadas.

Assista ao webinar da NOS sobre a SD-WAN



Com uma lista de benefícios que não pára de crescer, o 5G é o facilitador que vai potenciar muitas outras tecnologias, como a SD-WAN, impulsionando uma nova era no negócio do retalho, cada vez mais conveniente e personalizado. Vão aumentar as possibilidades de contacto e relação com clientes, alimentadas por big data, serviços de realidade virtual e aumentada, ecrãs inteligentes e serviços de cloud móvel. É tempo de desafiar as empresas a entrarem nesta nova era com os parceiros tecnológicos certos. Porque quem faz, não faz sozinho.

Share this

Artigos Relacionados

  • 1ª Fábrica 5G: NOS e SUMOL+COMPAL

    1ª Fábrica 5G

    1ª Fábrica 5G: NOS e SUMOL+COMPAL

    É tempo de transformar a indústria e apostar nas fábricas do futuro. Com a NOS, a Sumol+Compal já está a fazer o que ninguém fez.

  • Como abrir a porta da sua empresa ao 5G?

    Luis Neves GESI

    Como abrir a porta da sua empresa ao 5G?

    A transformação digital da quinta geração de redes móveis prepara-se para mudar o mundo das empresas. Veja o que pode fazer para começar a preparar a sua.

  • Deloitte prevê enorme impacto do 5G nas empresas portuguesas

    Pedro Tavares

    Deloitte prevê enorme impacto do 5G nas empresas portuguesas

    A consultora estima um crescimento de 17 mil milhões na economia portuguesa pelo 5G, até 2035.