10 milhões: Fundo NOS 5G quer mudar Portugal

O Fundo NOS 5G foi o primeiro em Portugal dedicado à quinta geração móvel. Em marcha está também o Acelerador 5G, um programa para startups promovido pela NOS, que termina em junho.

10 de maio 2021

Maio e junho são meses de borbulhar de ideias e tecnologia em Portugal. O Acelerador 5G - um programa para startups criado pela NOS, em parceria com a Amazon Web Services (AWS) com o suporte da Startup Lisboa, e com apoio da Armilar Venture Partners - entra na sua fase decisiva de desenvolvimento dos 15 projetos finalistas. As dezenas de candidaturas provam a força das novas gerações e das novas tecnologias, apostadas em tornar Portugal um país mais desenvolvido e competitivo com o 5G. O Acelerador 5G foi lançado em março - com escolha do vencedor a 30 de junho - e junta-se ao Fundo NOS 5G, lançado ainda em 2019. Duas iniciativas que mostram o empenho da NOS em promover a inovação e o empreendedorismo que a tecnologia permite.

Dez milhões de euros e 10 anos para transformar Portugal
“Será seguramente instrumental no desenvolvimento de oportunidades de criação de valor para o país”, afirma Duarte Mineiro, partner da Armilar, gestora de capital que assumiu o Fundo NOS 5G em 2020. Foram investidos 10 milhões de euros para encontrar, ao longo de 10 anos, “as melhores oportunidades que venham, ora potenciar o 5G enquanto tecnologia, ora tornarem-se viáveis graças ao 5G, e com isso terem o seu papel na revolução que aí vem”, explica Duarte Mineiro. É expectável que haja “empresas no portfólio que estejam num estágio startup, mas não serão de descurar algumas scaleups”.

" O Fundo NOS 5G “será seguramente instrumental no desenvolvimento de oportunidades de criação de valor para o país”. Duarte Mineiro, partner da Armilar

Duarte Mineiro

A NOS acredita que o 5G vai ser o epicentro da sociedade digital, da economia e da vida quotidiana, e permite novos paradigmas futuros da Internet of Services, onde dispositivos, terminais, máquinas e robôs se tornam ferramentas inovadoras que, simultaneamente, produzem e fazem uso de aplicativos, serviços e dados. São assim bastante abrangentes as áreas-chave para o Fundo NOS 5G: Tecnologia de rede, IoT, Dados e Analítica, Cloud, Realidade Virtual e Aumentada, ou Cibersegurança. Duarte Mineiro define o fundo como tendo “um espírito bastante ubíquo em termos dos espaços do 5G”.

Ecossistema global a crescer


O 5G está disponível já em alguns países e começam a surgir as primeiras aplicações. Mas o ecossistema ainda está em desenvolvimento, tendo sido afetado pelas restrições da pandemia. Para Portugal, é a oportunidade certa para trilhar o caminho da tecnologia. Segundo Duarte Mineiro, “já se notam ‘movimentações’ e todos os principais players, sejam nacionais ou internacionais, estão ativos e a apostar em dinamizar esse ecossistema. É natural que nos próximos tempos venham a ser mais visíveis os frutos desta dinâmica”.

Focado em ideias e projetos portugueses, o Fundo NOS 5G está também aberto a projetos internacionais que estejam a ser desenvolvidos em Portugal. “Tem sido cada vez mais o destino predileto de muitas equipas de empreendedores tecnológicos”, destaca o partner da Armilar, “e não tem defraudado as expetativas”.

" Duarte Mineiro destaca que “Portugal tem sido cada vez mais o destino predileto de muitas equipas de empreendedores tecnológicos”.

O Fundo pretende investir em empresas nas quais a NOS possa ser um enabler relevante para testar, desenvolver e alavancar comercialmente tecnologia ou produtos. Se de um lado dá acesso à agilidade e aos processos de negócio da NOS, por outro lado a Armilar facilita o contacto com o ecossistema de venture capital e assegura o acompanhamento das empresas ao longo dos diferentes estágios de crescimento. Para submeter uma proposta, basta descrever um pouco a empresa, os problemas que enfrenta e soluções possíveis, a comparação com a concorrência, o estágio de desenvolvimento e estimativas de mercado, bem como as necessidades de financiamento a 6 ou 12 meses. Esse pitch deck pode ser enviado por email ou através de um formulário no site da Armilar.

Acelerador 5G: dois meses de disrupção


Com os 15 finalistas escolhidos, o Acelerador 5G, apresentado em março pela NOS, já entrou nas fases decisivas. Os candidatos a um prémio de 7.500 euros e incubação na Startup Lisboa começaram por ter dois dias de Bootcamp, para depois avançarem para sete semanas intensivas de desenvolvimento.

Em formato virtual, o Boot Camp decorreu nos dias 5 e 6 de maio e contou com intervenções e palestras de alguns dos principais responsáveis da NOS, da AWS e da Startup Lisboa. Teve ainda uma participação especial: Mischa Dohler, engenheiro, empresário, investigador e professor catedrático do King’s College, em Londres. “Estes empreendedores percebem verdadeiramente o que é disrupção, vamos ver nos próximos anos quão longe podem levar isso”, afirma o especialista em comuncações móveis, que ficou entusiasmado com os finalistas do Acelerador 5G.

" O 5G é uma oportunidade única e eu já senti isso”, descreve Mischa Dohler, professor do King’s College, que em 2018 tocou piano em Berlim com a filha a cantar em Londres.

“O 5G é uma oportunidade única e eu já senti isso”, continua Mischa Dohler, que fez uma demonstração já em 2018: “Experimentei com a minha filha, que estava a cantar em Londres e eu estava a tocar piano em Berlim. Foi a primeira vez que percebi o poder emocional que o 5G pode trazer. O professor do King’s College acredita que “quando conseguimos ultrapassar distâncias geográficas, conseguimos aproximar as emoções. É aí que está verdadeiramente o poder”. É isso que faz com que o 5G não seja 4G+1, “é uma tecnologia que está a ultrapassar um limiar”.

Por outro lado, Mischa Dohler lembrou aos finalistas do Acelerador 5G que, mais do que construir algo em cima da tecnologia, é necessário “pensar verdadeiramente em serviços, aplicações e produtos que aproveitem ao máximo as capacidades do 5G, principalmente a latência”. E para isso, é preciso que os empreendedores “se envolvam com as empresas e percebam bem o que é necessário do lado da procura. Quando temos respostas para isso, então sabemos que podemos criar produtos e serviços interessantes”.

" Para Mischa Dohler, é preciso “pensar verdadeiramente em serviços, aplicações e produtos que aproveitem ao máximo as capacidades do 5G”.

Já Duarte Mineiro acompanhou de perto os processos de seleção dos candidatos e está plenamente confiante no sucesso do Acelerador 5G: “Estamos bem surpreendidos com a qualidade média das candidaturas”. Entende que este é um impulso para o sector tecnológico e que Portugal tem uma palavra a dizer na criação de tecnologias 5G em contexto global. “Acreditamos e temos muita fé. Portugal tem vários atributos que tornam essa possibilidade não uma miragem, mas algo tangível”, detalha o responsável da Armilar Venture Partners.

Trabalho e empenho, mas também mentoria


O Acelerador continua agora com a fase de Mentoria, que inclui webinars, encontros de networking e open innovation, talks inspiracionais e várias sessões de mentoria individuais com especialistas das entidades envolvidas - bem como outros parceiros que se associaram à iniciativa - para prepararem a apresentação final. No último dia, 30 de junho, decorre o ‘Demo Day’, uma sessão final de apresentação das propostas perante um júri, mas também junto de representantes dos parceiros e outros investidores. O vencedor é só um, mas todos os finalistas terão já na bagagem know-how, contactos e ideias para continuar o seu caminho e a possibilidade de vir a integrar o Fundo NOS 5G.

Além do prémio final monetário e da incubação na Startup Lisboa, todos os finalistas têm acesso a serviços da Amazon Web Services que podem ir até cerca de 100 mil euros. Seguramente mais importante do que isso é todo o contacto com empresas e investidores, bem como o apoio de especialistas de várias áreas, alguns deles de startups que há bem pouco tempo também estavam à procura de espaço. Entre os advisors e mentores estão responsáveis da Armilar, Boston Consulting Group, Faber, SBI Consulting, Aptoide, Hoopers Club ou Thrive Themes. Sem esquecer as três entidades que lançaram e dinamizam este Programa de Inovação Colaborativa: NOS, Amazon Web Services e Startup Lisboa.

" Duarte Mineiro acredita que “a vida das pessoas sairá transformada com estes passos bem largos no desenvolvimento das telecomunicações”.

Realidade Aumentada, Realidade Virtual, Streaming de vídeo, IoT, Gaming, Smart Cities, Logística e Veículos Autónomos, Indústria 4.0, Saúde, Agricultura, Retalho, Eventos, Media. Todas estas áreas vão ser impactadas pela rede 5G, e todas elas interessavam ao Acelerador 5G. “A vida das pessoas sairá transformada, cremos que para melhor, com estes passos bem largos no desenvolvimento das telecomunicações”, resume Duarte Mineiro. E iniciativas como o Fundo NOS 5G ou o Acelerador 5G garantem que os criadores de tecnologia vão continuar a fazer o que ninguém fez, para benefício de toda a sociedade.

Share this