Empreendedorismo

Cinco Forças de Porter


O modelo das cinco forças de Porter fornece informações importantes a qualquer empresa em início de atividade e que tenha de efetuar um planeamento estratégico de lançamento de um novo produto ou serviço.



As 5 forças são as seguintes:

Rivalidade entre concorrentes
Em situações de elevada rivalidade é comum que a atuação das empresas se foque na redução de preços e aumento de promoções e descontos, mas este fator centra-se igualmente em outras questões, como a diversidade de concorrentes e a repartição das quotas de mercado pelos mesmos, a taxa de crescimento do setor, o grau de diferenciação dos produtos, os níveis de inovação e as despesas em marketing e publicidade.


Poder de negociação dos consumidores
A concorrência empresarial permite que os consumidores possam fazer uma escolha mais ponderada sobre aquilo que compram, logo, critérios como a sensibilidade dos consumidores aos preços, o volume médio das suas compras e a existência de informações sobre os produtos à sua disposição são de máxima importância para o planeamento estratégico de uma empresa.


Poder de negociação dos fornecedores
São os fornecedores que disponibilizam fatores de produção, como as matérias-primas e os bens intermediários (ferramentas, máquinas e equipamentos), que originarão os produtos vendidos aos consumidores. Assim sendo, questões como o número e a dimensão dos fornecedores, a qualidade, força e custo da marca destes últimos e a importância que conferem ao volume de compra das empresas devem ser estudadas, na medida em que possibilitam concluir qual a preponderância destes últimos no mercado em que está inserido o negócio de uma empresa.


Barreiras à entrada de concorrentes
De forma a aferir se existe um elevado ou reduzido nível de ameaça ao iniciar um negócio, há que ter em conta fatores como o acesso às redes de distribuição e fornecimento, o custo e tempo de entrada no mercado, as necessidades de financiamento/investimento inicial, o nível de proteção à tecnologia, patentes e direitos de autor, as políticas governamentais (taxas de importação por exemplo), identificação dos consumidores do mercado em questão com as marcas já existentes, etc.


Bens substitutos
Deve haver uma constante pesquisa das empresas relativamente às tendências do mercado, dos produtos e dos consumidores, sob pena de ser ultrapassada, em crescimento e quota de mercado, pelos seus concorrentes. A qualidade e diferenciação do produto devem ser notórias para os consumidores, gerando valor acrescentado, pois isso diminui o risco de substituibilidade, algo amplamente afetado pela relação entre o preço do produto e o rendimento do consumidor. Assim sendo, esta força de mercado tem uma proximidade de análise muito forte com o poder de negociação dos consumidores.

 

ARTIGOS RELACIONADOS

Fornecedores

Produtos Substitutos

Ameaça de Novos Concorrentes

 

 

Casos de sucesso

Empreendedores de sucesso explicam como nasceram os seus negócios

Saber mais

Agenda

Eventos na área do empreendedorismo

Saber mais

Notícias

Últimas novidades sobre o universo do Empreendedorismo

Saber mais

Guias Práticos

Ideias e guias sobre tudo o que precisa de saber para criar um negócio

Saber mais